A INSTITUIÇÃO

O Núcleo de Amparo Social Tomás de Aquino, através da sua Unidade de Acolhimento Institucional MOACYR ALVES, administra e desempenha atividades voltadas às pessoas com deficiências iniciadas em 1996. Viabiliza principalmente ações de resgate, promoção, proteção e inserção social, educação, habilitação e reabilitação motora, assistência médica e emocional dos seus acolhidos.

Desde 1996 seu principal mantenedor tem sido o governo do Estado do Amazonas através da Secretária de Assistência Social e Cidadania – SEAS até 2011, e a Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência – SEPED a partir de 2012, por meio de convênio firmado anualmente.

Naturalmente que os recursos provenientes desse convênio não são suficientes para enfrentar todas as despesas, resumindo-se basicamente ao pagamento de funcionários, encargos sociais, luz, telefone e combustível. O restante tais como alimentação, vestuário, medicamentos, manutenção predial etc. são cobertos na medida do possível por doações e eventos promovidos pela instituição.

A instituição tem atualmente no seu quadro de funcionários aproximadamente 80 (oitenta) pessoas, mas ainda necessitando de contratações, para fazer frente aos inúmeros e constantes atendimentos que seus acolhidos necessitam, além dos atendimentos voltados para as pessoas da comunidade.

O acolhimento institucional é de ALTA E MÉDIA COMPLEXIDADE conforme tipificação do Sistema Único de Assistência Social – SUAS, voltado principalmente para crianças/adolescentes deficientes e excepcionalmente àquelas que se tornaram adultos dentro da instituição e não têm para onde ir.

O trabalho com crianças e adolescentes deficientes (neurológicas e físicas), requer, portanto uma enorme mobilização de esforços para atendê-las satisfatoriamente, desde o provimento de materiais e equipamentos até a existência de uma equipe multidisciplinar composta por: médicos especialistas, assistente social, psicólogos, fisioterapeutas, fonoaudiólogas, pedagogas, odontólogos e outros profissionais especializados, assim necessários para atender um publico que apresenta alto índice de comprometimento à sua saúde. Alguns são gastrotomizados e/ou traqueostomizados além de outras complicações, atendidos nas duas enfermarias existentes, mas sendo a grande maioria cadeirantes e totalmente dependentes, já que nesses casos se trata de deficiências múltiplas do grau três, além da assistência ao amparo afetivo e a promoção do resgate social e/ou reinserção social e/ou familiar.

Atualmente são atendidas 52 (cinqüenta e duas) crianças/adolescentes, além de 14 (quatorze) pessoas deficientes da comunidade através do Programa de Apoio à Comunidade, com orientação e acompanhamento familiar, fisioterapia e odontologia, voltadas principalmente para àquelas famílias que têm dificuldades e costumeiramente não têm a quem recorrer. Em 2013 esse número deverá aumentar substancialmente com o funcionamento do Programa Cidadania e Apoio a Comunidade – PROCIAC.

Com essas ações é possível reduzir a desigualdade social presente nas camadas mais baixas da população, e em especial no tipo de publico atendido pela instituição.

Dessa forma espera-se atingir a VISÂO da instituição que diz: “TORNAR-SE REFERÊNCIA COMO INSTITUIÇÃO DE ACOLHIMENTO MODÊLO COM PROJEÇÃO NACIONAL, NOS CUIDADOS COM AS PESSOAS DEFICIENTES”.

Anúncios

%d blogueiros gostam disto: